Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]



Talvez, um dia, te diga que ainda me vens ao pensamento. Ou te diga o quanto o meu coração palpita por ti mesmo após tanto tempo. Se um dia quiseres saber, pergunta-me. Talvez te diga a verdade. Talvez te minta. Mas para saberes a resposta olha-me nos olhos. Eles responder-te-ão à tua pergunta mesmo que a minha boca não queira pronunciar a palavra correta.

(pergunta-me hoje, e dir-te-ei que te amo)


1 comentário

Imagem de perfil

Carolina 11.09.2016

Sim, nós achamos sempre que estamos a experienciar um nível de dor nunca antes visto, quando na realidade uma boa parte das pessoas já passou pelo mesmo e muita das vezes com histórias incrivelmente iguais à nossa!
Pensas exactamente como eu.
Eu também acho que o que dói mais é ver que o nosso empenho e dedicação a uma pessoa foi por água abaixo num minuto. E eu falo por mim, fiquei literalmente anos com ele à espera de um pedido de namoro oficial, que acabou por chegar quatro anos depois. É muito tempo. Mas com isto aprendi que nunca devemos dar tudo de nós, devemos dar apenas uma parte. Se essa parte não for suficiente para a outra pessoa, então é porque ela não era a certa para nós. Não devia ser suposto fazermos sacrifícios ao ponto de nos magoarmos tanto só porque amamos alguém, talvez isso já nem seja amor.

Muito obrigada, desejo-te igualmente boa sorte no regresso às aulas! Irei continuar a gostar de passar pelo teu cantinho e espero também continuar a poder ler-te e seguir-te :)

Comentar:

CorretorEmoji

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.

Este blog tem comentários moderados.

Este blog optou por gravar os IPs de quem comenta os seus posts.